Clara Nunes – Canto das Três Raças

Ninguém ouviuUm soluçar de dorNo canto do BrasilUm lamento tristeSempre ecoouDesde que o índio guerreiroFoi pro cativeiroE de lá cantouNegro entoouUm canto de revolta pelos aresNo Quilombo dos PalmaresOnde se refugiouFora a luta dos InconfidentesPela quebra das correntesNada adiantouE de guerra em pazDe paz em guerraTodo o povo dessa terraQuando pode cantarCanta de dorE ecoa noite e diaÉ ensurdecedorAi, mas que agoniaO canto do trabalhadorEsse canto que deviaSer um canto de alegriaSoa apenasComo um soluçar de dor

Scroll to Top